Depoimentos de quem Superou

vaginismo - saude pelvic

Feedback e Comentários

Ao longo dos anos, obtivemos muitas mensagens de feedback, muitas delas incluem histórias pessoais de mulheres que superaram o vaginismo com a ajuda dos nossos recursos. Nomes e quaisquer informações identificadoras foram removidos por motivos de privacidade (com exceção de opiniões médicas e de especialistas).

Tema: A superação do Vaginismo

Assunto: Melhora nas relações e eliminação da dor

Mensagem:

A minha história com o vaginismo se inicia com o meu casamento. Sem vida sexual ativa, tive o meu primeiro contato ali e percebi que colocava muitas expectativas nessa área, além de receber pouco instrução em casa. Foram mais de dois anos tentando entender o que acontecia com o meu corpo e encontrar a Dra. Áurea. Com os encontros que tive com ela, entendi o processo do meu corpo, desde movimentos até respiração que podem auxiliar a relação sexual. Mesmo com o diagnóstico de endometriose e do vaginismo, a Dra. Áurea me ajudou a encontrar o caminho para uma relação sem dor. Sou extremamente grata a ela. Heloísa Galvão

Enviado em: 05/05/2022

Tema: A superação do Vaginismo

Assunto: VAGINISMO

Mensagem:

Sou casada há quase 5 anos, e durante todo esse período sabia que algo estava errado, porém não aceitava e acreditava que um dia tudo se resolveria como um passe de mágica, evidente que isso não aconteceu.


Durante todos esses anos, passei por ginecologistas que diziam que eu devia relaxar, tomar um vinho porque isso era coisa da minha cabeça, e que se sou uma mulher deveria conseguir realizar exames de rotina.


Infelizmente, os "conselhos" não funcionaram porque só quem passa por esse problema sabe o quanto é difícil, e eu me sentia menos mulher, diferente e anormal. Assim, comecei a pesquisar sobre o assunto (em 2020) e conheci através da internet a Dra. Áurea, imediatamente enviei um WhatsApp, ela sugeriu marcar consulta para me avaliar, mas eu não tive coragem de dar seguimento. Somente em 2022 passando pela mesma situação aterrorizante de não conseguir realizar um exame ginecológico, voltei a procurá-la, e iniciei meu tratamento. Foram necessárias 10 sessões para que ela me dissesse: Hoje você está de alta!!!


O processo de quem passa por isso não é fácil, a gente se sente inferior, anormal e diferente, mas com a ajuda da Dra. Áurea consegui superar cada obstáculo, que para mim foi uma vitória conquistada com muita luta.


E hoje chegou a minha vez de fazer o meu relato, antes de ser paciente li cada relato aqui do site e hoje posso dizer que eu também venci.


E não poderia finalizar meu depoimento sem agradecer a pessoa maravilhosa que é Dra. Áurea, uma profissional excelente e extremamente paciente e dedicada, sem ela eu JAMAIS teria conseguido! Serei eternamente grata.

Enviado em: 10/05/2022

Tema: A superação do Vaginismo

Assunto: Melhora nas relações e eliminação da dor

Mensagem:

Sou casada há menos de um ano e eu me casei virgem. Logo nas primeiras vezes que eu e meu esposo tivemos relação, eu senti muita dor. Eu achei que com o tempo - e com a prática - essa dor passaria. Mas não foi o que aconteceu. Dois meses após o casamento as dores permaneciam e foi quando eu percebi que poderia haver algo de errado. Decidimos procurar ajuda. Ter o apoio do meu esposo nesse momento foi fundamental para mim. Afinal, não se tratava somente de mim, mas de nós dois. Procuramos a dra. Áurea e ela nos explicou tudo e se comprometeu a nos ajudar. Com sua orientação, suas dicas e seu jeito de ensinar, fui me descobrindo melhor e comecei a entender melhor a dinâmica da relação sexual, algo que eu não conhecia. Após algumas sessões de fisioterapia pélvica, eu e meu esposo já conseguíamos ter relações sem dificuldade alguma. Sou extremamente grata à dra. Áurea, porque agora eu entendo melhor do meu corpo e sei como lidar melhor com as questões da minha pelve. Recomendo de olhos fechados!!!
 

Enviado em: 22/03/2022

Tema: A superação do Vaginismo

Assunto: Paciente curada após tratamento oncológico 

Mensagem:

Olá, tenho 26 anos, casada há 7 anos e desde a minha primeira relação sexual eu sentia dor, uma dor que começava no meu canal vaginal e se entendia para uma dor emocional que causava frustração, vergonha e medo de como seria a próxima vez que meu marido viesse me procurar.
Eu sentia uma dor muito intensa que começava nas preliminares, era uma dorzinha que passava conforme íamos nos beijando, porém com o calor das emoções chegava a hora da penetração e era nesse momento que eu travava toda a minha musculatura pélvica, não conseguia relaxar e assim a penetração era muito dolorosa.
Na minha adolescência eu ouvia relatos de mulheres que diziam que a primeira vez doía e, eu congelei meu pensamento a isso de forma que eu não conseguia mudar e também por ter passado por um episódio em que eu enquanto criança, meu pai se masturbou na minha frente e tentou me violentar, eu também congelei naquele momento de forma que eu não via o sexo como algo bom, e então eu preferi dar
Crédito a violência sexual que sofri à relação de amor, companheirismo, honestidade que estava criando com meu esposo.
E assim se passaram 7 anos de casada, eu casei virgem e sonhava com esse momento como um momento de tudo que há de bom, menos dor, menos decepção, frustração e tristeza, a cada vez que eu falhava a dor dentro de mim crescia e assim fui vivendo triste e sem esperança.
Fomos atrás de ajuda, quando fui a minha primeira consulta com o ginecologista ele me disse que estava tudo normal, que os exames estavam normais, então perguntei a ele: "Dr. é normal sentir tanta dor na relação?"
E ele me disse:" Você só precisa relaxar, que essa dor vai passar".
E mais uma vez congelei nesse pensamento, e me senti mais estranha ainda, porque se o problema era que eu não conseguia relaxar o que havia de tão errado assim?
E assim fui sobrevivendo, nunca usei OB, quando tinha que aplicar a pomada vaginal era um sofrimento, uma dificuldade sem fim, tive vários episódios de depressão
Crises de ansiedade, crises e mais crises de choro, mas não desisti, eu sempre buscava uma solução pra o meu problema, até que com o auxílio da minha mãe, que já presenciava o meu sofrimento, me apresentou a Doutora Áurea Regina, uma excelente profissional que atua em Brasília, a doutora é fisioterapeuta pélvica e de uma paciência incrível, de um acolhimento surreal, ela é muito humana e se preocupou em me deixar bem à vontade e me deu às estratégias certas para vencer esse grande problema, ela me ensinou sobre o autoconhecimento, sobre exercícios de respiração, sobre o poder do rebolado, ela me ensinou a trabalhar a minha musculatura pélvica de forma correta não só pra contrair, mas também para relaxar, alinhou o passo a passo da relação, me mostrou onde eu estava errando, e assim ela me ajudou a me olhar de outra forma, de forma mais acolhedora, me fez acreditar que eu podia além, ela me ajudou a superar a dor que o vaginismo me causava.
Em apenas 4 consultas, recebi a mudança para toda a minha vida.
E a você mulher, que convive com essa dor, ela tem cura, essa dor tem tratamento, essa dor pode passar e você pode viver uma nova história, sem dor e sem tantas decepções, procure ajuda, procure um profissional de excelência como a Doutora Áurea.
Vaginismo tem cura!!
Você merece viver sem dor!!
Existe relação sexual sem dor!

 

Enviado em: 10/11/2021

Tema: A superação do Vaginismo

Assunto: Paciente curada após tratamento oncológico 

Mensagem:


Fazendo exames de prevenção, fui diagnosticada com câncer no fígado. Passei por uma cirurgia e por várias sessões de quimioterapia. Como o tratamento foi longo, trouxeram várias sequelas para o meu organismo entre elas um enorme desconforto sexual, ressecamento vaginal, musculatura Pélvica enfraquecida e muito medo da dor, insegurança, falta de lubrificação etc. Relatando isso para meu oncologista ele aconselhou-me ter uma consulta com uma fisioterapeuta pélvica. Encontrei então Dra. Áurea que é uma super profissional, deixa a gente bastante à vontade, muito honesta, séria, simpática e amiga. Tudo isso fez uma grande diferença no meu organismo como um todo. Mais vitalidade e muito bem resolvida em relação a tudo que passei.


Hoje estou ótima, relaxada e com uma postura correta (consertada por ela), Auto estima muito elevada uma vez que estava bem debilitada.
Obrigada Dra. Áurea pelo carinho, disponibilidade e amizade.    

Enviado em: 05/11/2021

Tema: A superação do Vaginismo

Assunto: Vaginismo

Mensagem:

Estou impressionada com a rapidez do tratamento. Passei anos sofrendo com dores que atrapalharam muito a minha vida conjugal. Na primeira sessão já me surpreendi com a naturalidade do atendimento. E apenas com mais duas sessões e seguindo os treinamentos em casa, tive alta! Agradeço profundamente por todo o carinho, atenção e dedicação durante o tratamento.

 

Enviado em: 23/10/2021

Tema: A superação do Vaginismo

Assunto: Vaginismo

Mensagem:

Em novembro de 2020 passei por uma péssima experiência sexual, tive muita dor na hora da primeira relação e não entendia o que estava acontecendo, meses se passaram e a dor permaneceu me impedindo de avançar esse passo no meu relacionamento, um dia conversei com uma ex-paciente da Dra. Áurea que me a indicou com bastantes elogios. Quando marquei a consulta ainda estava com muito medo e sem esperanças, mas desde o início a doutora foi extremamente gentil e carinhosa comigo, me escutou pacientemente e me explicou o que estava acontecendo de forma muito delicada e como seria o tratamento, a cada sessão eu me sentia mais segura comigo mesma graças a confiança que ela me passava e o cuidado em cada sessão. Recebi alta essa semana depois de 6 sessões e graças a ela me sinto muito mais confiante, não sinto mais dores e estou muito feliz e satisfeita com o resultado. A Doutora Áurea tem minha eterna gratidão por ser tão incrível, educada, carinhosa e acolhedora!

 

Enviado em: 19/08/2021

Tema: A superação do Vaginismo

Assunto: Vaginismo

Mensagem:

Quando eu relatei os sintomas de dor durante a relação, o ginecologista disse que era normal e que provavelmente era apenas nervosismo, mas eu sabia que não podia ser apenas isso. Conversei com uma amiga que sugeriu que podia se tratar de vaginismo, então comecei a pesquisar muito e encontrei a Dr. Áurea. Foi a profissional que me passou mais segurança durante a nossa primeira conversa, e o fato de ter muitas avaliações positivas aqui me fez ficar esperançosa e animada para começar logo. Foi a melhor coisa que fiz, e encontrei uma profissional séria, empática e supercompetente, que me ajudou a entender as questões psicológicas por trás do problema. Tenho apenas gratidão pelo trabalho impecável e pela atenção que dedicou a mim, e desejo que mais mulheres que passam pelo mesmo problema possam conhecê-la. Achei que ficaria receosa na primeira sessão, mas fiquei muito à vontade 😍

 

Enviado em: 02/10/2021

Tema: A superação do Vaginismo

Assunto: Vaginismo

Mensagem:

Me casei Virgem e fiquei 2 anos sofrendo com as dores e dificuldades em ter relação sexual, apesar do meu marido ser maravilhoso e compreensivo, eu me cobrava muito e queria tentar ter uma vida normal… mas nunca era normal, pois a dor não deixa ser. Eu havia ido na ginecologista com 2 meses de casada, mas ela não se empenhou em me ajudar, disse que a dor existia pra algumas mulheres, mas que com o tempo melhoraria. Foi aí que quando percebi já havia se passado 2 anos e nada tinha melhorado. Depois de muita pesquisa sobre isso, descobri que eu tinha características de vaginismo e sempre que via ou ouvia alguém falar desses assuntos nas redes sociais de profissionais, eu ficava atenta para entender como eu poderia me tratar. Através do Instagram de uma sexóloga, eu descobri a Dra. Áurea e descobri que o tratamento era real e milagroso através dos depoimentos de outras mulheres, descobri que existia a cura. No mesmo dia que li os depoimentos, já mandei um e-mail para ela e assim começamos a ter contato… após o primeiro contato voltei a sonhar, pois sabia que eu sairia desse tratamento curada. Marcamos uma consulta para eu contar minha história e começamos o tratamento online, pois sou do interior de São Paulo e ela de Brasília. Após 4 sessões e muita dedicação, estou curada e só tenho a agradecer por Deus colocado a Dra. Áurea no meu caminho.

 

Enviado em: 13/08/2021

Tema: A cura do Vaginismo

Assunto: Vaginismo

Mensagem:

O meu:

Com 17 anos comecei a namorar e, quando tentei ter a minha primeira relação sexual, com 18 anos, não foi como o esperado. Tentava a penetração, mas eu sentia medo, dor e me contraía toda. Após muitas tentativas frustrantes e sem êxito, pesquisei sobre a minha dificuldade na internet e logo me deparei com o termo “vaginismo”. De imediato, imaginei que se tratava do meu caso. Minha autoestima ficou baixa e fiquei mal comigo mesma. Demorei muito para procurar ajuda, pois tinha medo e vergonha de expor a situação para qualquer pessoa que não fosse o meu namorado. Durante todo tempo, ele esteve ao meu lado me apoiando e me incentivando a procurar ajuda, mas sempre respeitando os meus sentimentos. Hoje, vejo que nossa relação é ainda mais fortalecida por termos passado por isso tudo junto. Após 4 anos tive coragem de procurar ajuda. Nós pesquisamos na internet por fisioterapeutas que tratassem o vaginismo em Brasília e encontramos o nome da Dra. Áurea. Li alguns depoimentos de suas pacientes em seu site, tomei coragem e marquei uma consulta. Fui muito bem atendida pela Dra. Áurea e me senti acolhida desde o primeiro dia. Estava um pouco receosa no início, mas saí da primeira consulta com muita esperança. Ela passava os exercícios e eu os fazia com disciplina rotineiramente. Cada conquista era comemorada com muita alegria. Após algumas sessões, finalmente recebi alta. Hoje posso dizer que me sinto uma nova mulher e muito mais feliz. Sou imensamente grata pela Dra. Áurea por ter feito tamanha diferença em minha vida! Me sentir livre do vaginismo foi incrível!!!

 

 O dele:

Durante muito tempo eu e minha namorada passamos por algumas dificuldades quando o assunto era o sexo. Nós não conseguíamos ter de fato uma penetração completa. Demoramos um pouco para procurar tratamento, pois minha namorada não se sentia bem em falar com outras pessoas além de mim sobre nossos problemas sexuais. Porém, quando fomos pesquisar sobre o assunto na internet achamos a clínica da Dra. Áurea e começamos a ler alguns depoimentos e nos identificamos bastantes com alguns casos. Então, decidimos marcar uma consulta com a Dra. Áurea. Ela sempre foi muito atenciosa, prestativa e solidária. Hoje em dia só tenho a agradecer pela ajuda que a Dra. nos deu, pois foi graças a ela que conseguimos resolver um grande problema em nossas vidas.

Enviado em: 23/07/2021

Tema: A cura do Vaginismo

Assunto: Vaginismo

Mensagem:

Logo que me casei me deparei com a dificuldade na hora da relação sexual. Não havia trauma ou algo que me fizesse ter medo desse momento apenas o fato de ser virgem e ser tudo uma novidade para mim, mas as tentativas frustradas e a dor ao tentar a penetração me fizeram recuar e sentir muito medo, chegando até a evitar o meu marido. Os dias se passaram e as expectativas só aumentavam e com ela as decepções também. Na busca por uma solução conheci a Doutora Áurea por uma indicação e logo no primeiro momento me senti a vontade de falar sobre o que estava acontecendo abertamente, precisei de apenas duas sessões para que eu conseguisse ter a consumação do meu casamento e a penetração completa. Foi incrível como num instante aquele ato onde só havia dor e frustração passou a ser prazeroso e possível!!! Só tenho a agradecer a Deus por capacitar pessoas para nos ajudar em cada detalhe das nossas vidas, e a Dra. Áurea foi esse instrumento para que eu pudesse enxergar que seria capaz de superar essa dificuldade.

Enviado em: 03/05/2021

Tema: Importância do Fisioterapeuta Pélvico nas pacientes oncológicas

Assunto: Importância do Fisioterapeuta Pélvico nas pacientes oncológicas

Mensagem:

Tenho 49 anos, fui menopausada aos 46, e em fevereiro de 2020, ao fazer meus exames de rotina e prevenção ginecológica, o ginecologista me pediu uma mamografia e o ultrassom das mamas, e na sexta-feira do carnaval de 2020, me ligaram do laboratório, pedindo para eu retornar lá para refazer a imagem da mamografia, ao chegar no laboratório a Dra. que havia me atendido, me informou que tinha percebido uma imagem muito suspeita na mana esquerda, que ela precisava conferir a imagem, e que eu deveria seguir com a pesquisa e investigação da lesão. Sai do laboratório desnorteada, e fui ao ginecologista mostrar os exames para ele, quando ele pegou a mamografia, ele me olhou e pediu para eu procurar um mastologista com máxima urgência, de preferência naquele mesmo dia, em saber o que fazer, retornei para casa e consegui marcar uma consulta para 4 dias depois com a mastologista, foram os piores dias da minha vida, não dormia nem me alimentava direto pensando no que poderia estar por vir, finalmente, no dia da minha consulta com a mastologista, cheguei lá apavorada. Mas a Dra. que é um anjo, me tranquilizou e me pediu uma ressonância das mamas, fiquei tranquila até sair o resultado, mas, as informações só se confirmavam, então, fizemos a biopsia da lesão e o que confirmou um carcinoma infiltrante de mana. Ao ver esse nome no laudo, meu mundo caiu, eram umas 19h00, e eu estava saindo do trabalho, não sei como consegui chegar a casa. Ao chegar, não sabia com quem falar e como falar e o que falar, até que crie coragem e liguei para uma sobrinha que é técnica em enfermagem, finalmente li o nome aos prantos para ela “carcinoma infiltrante de mana” ela tentou me tranquilizar e pediu para eu retornar na mastologista para ela avaliar, no dia seguinte, retornei na Dra. e infelizmente ela me informou que era um câncer de mama, mas que precisávamos saber quem era ele. Visto que tem vários tipos e subtipos de tumor. Após o exame imuno histoquímico, descobrimos que era um tumor com receptor hormonal. Após o diagnóstico, a Dra. me informou que meu tratamento seria: Cirurgia imediata, radioterapia e hormonioterapia (terapia oral), por 5 anos. Dado isso, operei em maio de 2020, foi feita setorectomia + linfonodos sentinelas + margens de segurança, e entre junho e julho, fiz 15 sessões de radioterapia, e em 14 de julho, iniciei o tratamento com a hormonioterapia. Eu já estava menopausada há dois anos e não sentia grandes efeitos da menopausa, somente os fogachos. Em dezembro de 2020, comecei a ter um ressecamento vaginal excessivo, que não estava sendo sanado com o uso dos hidratantes vaginais, infecção urinaria e depois a atrofia vaginal e muitas dores ao fazer sexo, ao pondo de ser insuportável e até sangrar na tentativa da penetração. Enfim, todo esse relato é para dizer que: senti muita carência dos profissionais da oncologia e a equipe multidisciplinar, aos quais precisamos passar, para nos informar das possíveis consequências/efeitos do tratamento, e nos orientar para procurarmos um fisioterapeuta pélvico, logo no início do tratamento oncológico, para já irmos prevenindo dos efeitos colaterais. Mas, infelizmente, a gente só vai sabendo as coisas à medida que elas vão surgindo, não temos um profissional que nos esclareça os possíveis efeitos e consequências da menopausa combinada com o tratamento oncológico. E neste caso, o fisioterapeuta pélvico deveria ser obrigatório para as pacientes com esse diagnóstico.

Enviado em: 26/04/2021

Tema: A Cura do Vaginismo

Mensagem:

Assunto: Cura do Vaginismo

Mensagem:

Levou três anos até que eu tivesse coragem para ir em busca do meu tratamento. Três anos de dores durante a relação, de choro frequente após momentos íntimos sem sucesso com meu namorado. Após perceber meu relacionamento esfriando, cada vez mais evitando o contato íntimo e fugir dos exames ginecológicos, decidi que não ia passar mais tempo assim. Precisava buscar ajuda e já sabia onde seria. Durante minhas buscas pela internet sobre o vaginismo já sabia da existência da Dra. Aurea, cheguei a mandar mensagem perguntando sobre a consulta, porém ainda não conseguia dar o passo adiante e me arrependo de ter esperado mais. Só 6 meses depois marquei de fato a consulta e foi a melhor atitude que eu poderia tomar em respeito ao meu corpo, a minha mente e meu bem-estar. Tratar o vaginismo é cuidar da nossa saúde. Eu não imaginava a transformação que seria na minha vida e na relação com meu parceiro. Após 6 sessões com a Dra. Aurea, consegui ter a primeira relação sexual sem nenhuma dor ou incômodo. Foi surpreendente, senti uma leveza, e ao invés de chorar na cama como em diversas outras tentativas, eu estava me sentindo completa, tranquila e feliz. Dra. Aurea foi um presente na minha vida, cada fala, cada incentivo e seu trabalho impecável me trouxe renovação. É uma pessoa muito querida e que jamais vou esquecer ou perder contato. Se você que está lendo meu relato, passa por dor na relação, eu te aconselho a não esperar mais tempo, procure ajuda especializada, transforme sua vida. Abraços.

Enviado em: 23/04/2021

Tema: Dispareunia/Endometriose

Mensagem:

Assunto: Dispareunia/Endometriose

Mensagem:

Em 2018 casei e desde então começou a frustração na área sexual, o sexo sempre vinha acompanhado de muita dor. Em 2019 ao investigar descobri a endometriose e nenhum médico havia me orientado sobre a fisioterapia pélvica. Em 2020/2021 um médico recomendou que fizesse. Fiz 5 sessões com outra fisio, mas não vi resultados. Então conheci a Dra. Áurea que foi um anjo na minha vida, desde o primeiro contato sempre foi muito atenciosa e paciente com todas as minhas dificuldades. Me mostrou a mulher que eu poderia me tornar, me ajudando na melhora das minhas dores e até na melhora da minha autoestima e confiança. E agora colocando em prática tudo o que ela me ensinou tenho certeza que o incômodo vai diminuindo cada vez mais. Obrigada Dra. Áurea por toda paciência, persistência e dedicação que teve comigo! Você é uma excelente profissional que eu indico de olhos fechados!

Enviado em: 23/04/2021

Assunto: Tratamento do vaginismo

Mensagem:

Assunto: Tratamento do vaginismo

Mensagem: Tenho 20 anos e desde o dia que perdi a virgindade, há 2 anos, sentia dor em qualquer relação sexual. Nunca me senti confortável de comentar com ninguém, mas depois que contei para uma pessoa de confiança, recebi apoio para procurar tratamento. Foi aí que eu encontrei a doutora Aurea, muito atenciosa e dedicada. Cheguei a fazer 4 seções e já percebi uma diferença enorme, o que ajudou muito na minha confiança, acredito que fazendo os exercícios passados por ela, a dor vai diminuindo cada vez mais. Só tenho a agradecer à doutora Aurea por todo cuidado e dedicação, sem dúvida, uma das melhores profissionais que eu já conheci.

Assunto: Tratamento do vaginismo

Enviado em: 09/04/2021

Assunto: Endometriose

Mensagem:

Assunto: Endometriose

Há exatos 6 anos fui diagnosticada com Endometriose profunda. Foi muito tardio, o que acarretou algumas complicações emocionais, físicas e duas cirurgias. Ocorre que por recomendação médica foi sugerido o tratamento com fisioterapia pélvica pois fiquei com algumas sequelas, que poderiam ser tratadas e sanadas. Após 5 anos e meio uma colega de trabalho, fez tratamento com a Dra. Aurea, e ouvindo meu relato orientou que a procurasse, pois eu já tinha recomendação médica para isso. Pois bem, fui recebida pela Dra., iniciei o tratamento, com 5 sessões, apenas, no qual obtive êxito. A Dra. Aurea teve um cuidado e uma atenção com cada dificuldade que apresentei. Ademais, seu respeito e paciência com as minhas limitações, foram de um profissionalismo surreal. É uma profissional recomendada por mim em razão da sua competência, profissionalismo. E ética

Enviado em: 28/01/2021

Assunto: Cura do Vaginismo

Mensagem:

Assunto: Superação do Vaginismo

Olá. É com muita alegria que escrevo esse depoimento, pois posso dizer: estou curada! Conheci o termo vaginismo há algum tempo e, pelos sintomas, logo desconfiei de que se tratava do meu caso. Mas somente agora em 2020, após o meu casamento, busquei ajuda. Logo na minha primeira consulta, gostei muito da doutora Aurea, uma profissional iluminada, que me tratou com tanto carinho e empatia, que saí da consulta mais leve e confiante. Foram necessárias apenas 3 sessões para que eu conseguisse a penetração completa com meu esposo. Detalhe: eu nunca tinha tentado introduzir nada na minha vagina, pois sempre tive muito medo de penetrar qualquer coisa dentro de mim. No entanto, a cada sessão, eu voltava para casa mais confiante e fazia todos os exercícios que a doutora me passava, o que aumentava a certeza de que logo eu estaria liberta. A doutora Aurea foi um anjo que Deus colocou na minha vida. Ela me esclareceu muitas coisas, ajudou-me a ter autoconhecimento e contribuiu para que eu abrisse minha cabeça para algo tão importante na vida do ser humano, a sexualidade. Quero agradecer primeiramente a Deus e, em seguida, à doutora Aurea por todo o cuidado, a compreensão e os ensinamentos dados. Hoje estou livre de algo que cheguei a pensar que jamais seria liberta. Só posso desejar à doutora Aurea que Deus a ilumine sempre para que ela continue ajudando mais mulheres. Doutora Aurea, fique com Deus! Que Deus te abençoe muito, esteja sempre presenta na sua vida e realize os desejos do seu coração! Minha eterna gratidão!!!

Enviado em: 26/11/2020

Assunto: Cura do Vaginismo

Mensagem:

Assunto: Superação do Vaginismo

Sempre ouvi falar que a mulher sentia muita dor na hora de perder a virgindade. Quando perdi a minha senti uma dor horrível, e a dor continuou em todas as relações. Pensei: "Se sexo dói tanto porque todo mundo gosta?" Procurei uma ginecologista, fiz exames, ela disse que estava tudo certo comigo e que a dor era normal, que logo ia passar. Li alguma coisa na internet sobre o vaginismo e pensei que não devia ser o meu caso, já que eu nunca sofri abuso sexual. Com o tempo a dor foi piorando e cheguei a pensar: " será que eu não gosto de homem? Ou será que eu não nasci para gostar de sexo?" Conheci um cara, gostei dele, estava muito afim e ele também, mas na hora eu simplesmente não consegui. Ele foi muito carinhoso comigo e atencioso, mesmo assim eu me senti um fracasso como mulher. Fiquei triste. Cheguei em casa, comecei a ler, procurei terapeutas na área. Vi que ela era uma das melhores e me identifiquei muito nos depoimentos. Marquei uma avaliação para o dia seguinte. Cheguei a pensar que o meu caso não tinha solução, fui disposta a fazer umas 20 sessões, rs. Na segunda eu já melhorei muito, depois da terceira eu tentei ter relação. Foi uma maravilha! Descobri quão prazeroso o sexo é! Sem dor. Hoje tenho controle da minha vagina. Me sinto muito bem e sou grata a terapeuta que me recebeu tão bem, me deixou à vontade e resolveu o meu problema. Mulheres, não tenham vergonha de falar o que incomoda vocês. Eu nunca tive muita vergonha e sofri porque o meu namorado não sabia do que se tratava. Procurem ajuda de um profissional, é tão libertador!

Enviado em: 06/11/2020

Assunto: Cura do Vaginismo

Mensagem:

Assunto: Superação do Vaginismo

Fui encaminhada para Dra. Aurea após ir a uma consulta ginecológica e relatar ao meu médico que eu SEMPRE sentia dores ao ter relações sexuais. 

Até então eu achava que era normal, no início da penetração eu sentir dores, achava que toda mulher sentia, até que, após conversar com algumas amigas e elas me relatarem que não sentiam, percebi que tinha um problema comigo e fui procurar ajuda.

Tenho 32 anos, e desde os meus 23 anos que tenho relação sexual, porém SEMPRE sentia muita dor no momento da penetração, ao ponto de algumas vezes não conseguir a penetração.

Sou casada, e já tenho 8 anos de relacionamento com meu marido, e NUNCA tinha tido relação sem dor.... Isso por inúmeras vezes, foi motivo de eu evitar meu marido, por não querer sentir as dores, que também era acompanhada de fissuras no meu períneo, em razão do atrito, que por mais que meu marido tivesse a maior paciência do mundo comigo no momento da relação, era inevitável eu não sentir essas dores e ardência no ferimento que ficava após o ato sexual. 

Até que conheci a Dra. Aurea...  Na primeira consulta ela já fez um trabalho comigo de respiração, e eu já tive bons resultados. Eu estava fazendo uso de uma pomada vaginal injetável, e ao colocar essa pomada eu NÃO SENTI DORES. 

Após a consulta, tivemos nossa primeira sessão de fisioterapia pélvica, fizemos outros tipos de exercícios, e ao ter relação com meu esposo, PELA PRIMEIRA VEZ NA VIDA, NÃO SENTI NENHUMA DOR e não tive nenhuma fissura. 

Na segunda sessão, já conseguir fazer todos os exercícios sem sentir NENHUMA DOR, e para surpresa de nós duas, eu já tive alta. Eu já tinha pago 5 sessões de fisioterapia, preparada para 10... e ela simplesmente me devolveu o dinheiro das 3 sessões que faltava e meu deu ALTA.

Serei eternamente grata a ela, pela profissional espetacular que ela é, pela empatia que ela tem com seus pacientes, pelo profissionalismo, competência, por dar um Up na nossa autoestima!

Hoje entendo que, relação sexual deverá ser sempre prazerosa e sem dores.

Meu muito obrigada!!

Enviado em: 28/09/2020

Assunto: Cura do Vaginismo

Mensagem:

Assunto: Superação do Vaginismo

Eu costumo não ser muito boa em palavras, mas gratidão é a palavra que me define a essa profissional super qualificada quando se trata desse assunto (vaginismo). Eu tenho 35 anos e até então nunca havia conseguido ter penetração em uma relação sexual. Um belo dia resolvi pesquisar sobre isso na internet porque até então pensava que isso era uma particularidade apenas minha e que ninguém mais tinha esse problema. Foi aí que encontrei a clínica da Dra. Aurea que desde o início me tratou com muita dedicação e atenção para que eu pudesse por fim alcançar meus objetivos.

Progressões das sessões - Fiz 5 sessões de fisioterapia e na primeira fiquei meio perdida, já na segunda consegui introduzir um tubete dentro da vagina, detalhe é que eu não conseguia colocar nem um dedo. Na terceira sessão ao tentar introduzir um tubete maior sozinha passei muito mal e não consegui introduzir, sendo ter conseguido com a ajuda da Dra. Aurea, nesse dia voltei para casa meio frustrada mais com muita vontade de vencer e isso não me desanimou pelo contrário foi de onde eu busquei mais força para lutar. Daí então fiz bastante exercícios em casa treinei bastante mesmo. Quando fui para a quarta sessão tive bastante êxito nos exercícios e já me sentia muito segura para o que eu queria, vi ali meu objetivo cada vez mais perto de ser alcançado, foi a partir daí que consegui ter minha primeira penetração (depois da quarta sessão) e desde então não tenho mais dificuldades. Diante disso eu não poderia deixar de vim aqui prestar o meu depoimento que talvez possa ajudar muitas pessoas que assim como eu não sabiam que isso tem tratamento.

 

Gente, vaginismo tem tratamento e tem cura, esse problema não é só você que tem. Existe sim pessoas que passam pelo mesmo problema que você, então busquem ajuda eu pensava que jamais conseguiria e consegui hoje me sinto preparada. Dra. Aurea quero te agradecer por tudo, pela sua atenção desde o começo, ao me ouvir, você faz parte do meu sucesso. Obrigada por me ajudar!

Enviado em: 21/09/2020

Assunto: Cura do Vaginismo

Mensagem:

Assunto: Superação do Vaginismo

Ela: Eu não sabia o que eu tinha realmente porque eu casei virgem, antes disso pensava que poderia sentir prazer normal, mas depois que tive algumas tentativas frustradas com o meu esposo percebi que tinha alguma coisa errada. Eu não conseguia sentir prazer e nem a penetração, era como se tivesse tampado entrada da minha vagina, nas tentativas os músculos pélvicos ficavam todos contraídos, ficava muito triste e chorava porque eu não entendia muito bem. As tentativas só traziam tristeza para mim. Comecei a pesquisar os sinais clínicos e percebi o que eu tinha era vaginismo. Então fui em uma ginecologista, mas não foi como pensei, um atendimento seco. Resolvi procurar uma pessoa que conhecesse de verdade o que estava acontecendo. Na internet vi o contato da Dra. Área, marquei a primeira seção de fisioterapia, e ela com muita simplicidade e delicadeza me ajudou a entender o que estava acontecendo. Daí foram várias seções, teve tempo que desisti, porque não é fácil, o importante é não perder a fé de que tudo vai se resolver. Depois de um tempo voltei a fazer as terapias, tudo tem o seu tempo certo de acontecer, e Deus prepara tudo. Depois da retomada para terapia, deslanchou, estava progredindo. Então tive alta médica, hoje eu e meu esposo temos uma vida ativa sexual. Dra. Áurea quero dizer que a senhora foi um instrumento de Deus em nossas vidas, nunca vou me esquecer dos seus ensinamentos e do seu carinho, que o senhor te abençoe grandemente.

Depoimento

Ele: somos casados a quase 7 anos, nas primeiras tentativas sentimos dificuldades na penetração e isso deixava a minha esposa muito chateada e cada vez mais fechada, ela sentia vergonha em expor a situação e em procurar ajuda porque nunca tinha ido procurar, até que tudo começou a mudar quando conhecemos a Dra. Áurea que atendeu minha esposa com muito carinho, dedicação, muita paciência e acima de tudo muito educada, ela passou dicas, trabalhou o lado que mais afetava e conseguimos passar por tudo isso. Agradeço de mais por tudo Dra.! E super indico o trabalho dela como uma excelente profissional sempre!!! Mudou nossas vidas e hoje temos muitos planos, OBRIGADO mesmo!!!

Enviado em: 18/09/2020

Assunto: Cura do Vaginismo

Mensagem:

Assunto: Superação do Vaginismo

Eu tenho 30 anos e até então nunca tinha conseguido ter penetração na relação sexual por causa da dor. Isso afetou muito meus relacionamentos. Então resolvi procurar ajuda, e depois de literalmente contatar todas as clinicas de fisioterapia pélvica de Brasília, encontrei a Dra. Áurea! Ela me passou desde o início confiança e me acolheu com muito carinho. No meu caso só de olhar ou tocar eu já passava mal, não entrava nem meu dedo. A Dra. Áurea entendeu tudo, e na 3ª sessão eu consegui pela primeira vez colocar um aplicador. Eu nem conseguia acreditar. Depois disso, deslanchou e com um pouco mais de dez sessões (porque eu insisti) eu tive alta, já tinha domínio da região, não sentia mais dor. A Dra. Áurea sempre foi muito compreensiva e atenciosa, respondia minhas dúvidas pessoalmente no WhatsApp, me explicava tudo, me passava os exercícios, me dava as melhores dicas... além de me ajudar muito no meu lado psicológico, conversava muito  comigo... nem tenho palavras para agradecer. A minha vida agora é outra. E foi tudo em tão pouco tempo que eu até hoje não consigo acreditar. Muito obrigada por tudo, Áurea!

Enviado em: 10/08/2020

Assunto: Cura do Vaginismo

Mensagem:

Quando perdi a virgindade senti muita dor, sentia como se estivesse sendo rasgada por dentro, sangrou muito, a dor foi tamanha que não conseguimos penetrar completamente, mesmo muito lubrificada e tendo total liberdade com o meu namorado, que entendeu a situação e fez de tudo para que eu não sentisse dor. Eu já tinha ouvido falar sobre vaginismo, mas decidi procurar mais sobre, pois desconfiei que tivesse, mesmo o meu namorado dizendo que eu não precisava transformar isso em um problema e que poderíamos lidar com isso, não ter penetração, tentar outras vezes já que essa só foi a primeira, mas eu senti que havia algo errado, que não foi uma dor normal que relatam na perda da virgindade. Achei a Dra. Aurea e marquei a consulta, ela me explicou várias coisas, quebrou muitos tabus meus, me passou alguns exercícios para repetir e me tranquilizou bastante. Após a primeira consulta consegui ter penetração, ainda sentia um incômodo, mas não dor. Fiz 5 sessões, e hoje não tenho mais dor alguma na relação, nem mesmo o desconforto.

Passar pelo tratamento me deu muita confiança e ao meu namorado também, de que ele não era o culpado pela dor, nem eu. Me senti muito mais confortável em inovar e hoje em dia não espero mais sentir dor, não fico tensa ou ansiosa, ou mesmo tentando evitar a situação para não sentir dor de novo. Foi muito importante para mim. Eu sei que alguns podem considerar que eu fui muito cedo buscar por ajuda, mas só você se conhece e sabe quando tem algo de errado, por menor que seja. Eu sou muito grata por ter ido cedo e por ter conhecido a Dra. Aurea, porque não acumulei traumas e hoje sou completamente realizada na minha vida sexual.

Enviado em: 25/06/2020

Assunto: Cura do Vaginismo

Mensagem:

Após algumas tentativas de ter relação sexual, sempre com muita dor, fui ao meu ginecologista. Contei como tinha sido a última tentativa e ao me avaliar disse que eu tinha vaginismo. Depois de entender o que era, fui em busca de especialistas. Fui em algumas sessões com uma sexóloga, depois fui a hipnoterapia mais algumas sessões, e depois vi que tinha fisioterapia. Fiz um bom tempo em um outro local, como não estava obtendo resultados, parei de ir. Depois de uns 5 anos, encontrei a Drª Áurea. Não conseguia acreditar que em poucas sessões as outras mulheres já conseguiam ter alta. Então resolvi marcar uma consulta. Gostei muito, pois o primeiro atendimento já foi direto com ela, super atenciosa! Logo na primeira sessão já senti algo diferente. Quando consegui ter a primeira relação sem dor logo após a segunda sessão, ainda fiquei sem acreditar, pois, o caminho tinha sido longo. Fiquei muito feliz. Tinha de contar a novidade. E assim recebi minha alta.

Enviado em: 23/03/2020

Assunto: Cura do Vaginismo

Mensagem:

Ela: Tenho 19 anos e desde a primeira relação sexual sentia muitas dores e ardência, a princípio eu e meu namorado achávamos que fosse algo que passaria com o tempo, mas depois de 2 anos de relacionamento (sempre tivemos muita liberdade), nada mudou. Fui em alguns ginecologistas e todos diziam ser algo psicológico devido a algum abuso sexual sofrido na infância, e que talvez só com um psicólogo seria possível curar. Sem me sentir segura por parte dos ginecologistas, que eu havia me consultado, decidi por conta própria procurar saber mais sobre o assunto, e as características batiam muito com vaginismo. Meu namorado resolveu procurar algumas clínicas que tratavam sobre o vaginismo e encontrou a Saúde Pelvic, me mandou o número e eu entrei em contato e logo percebi a diferença no atendimento, pois tratei tudo diretamente com a Dra. Áurea que desde o início foi muito atenciosa, tirando minhas dúvidas, me passando segurança e principalmente confiança. Após a segunda sessão eu já conseguia a penetração sem muito incômodo. Aprendi a me conhecer melhor e ter mais segurança na hora da relação sexual. Na terceira sessão já me sentia muito bem psicologicamente e já estava tendo relações mais tranquilas com meu namorado. Na quarta eu recebi alta, foi uma surpresa para mim, pois eu não imaginava tamanho progresso e não achava que fosse possível, por antes pensar que era algo que acontecia somente comigo, contudo a Dra. Áurea foi maravilhosa durante o tratamento, uma pessoa leve, atenciosa, me deixou muito à vontade e sou muito grata por todo o trabalho feito por ela, realmente uma pessoa/profissional espetacular.

Ele: Desde o início das primeiras relações sexuais com minha namorada, notei que ela sentia muitas dores e incômodo, achávamos que com o tempo passaria e ficaria normal. Algum tempo se passou e só intensificava a dor dela, logo, em mim também. O clima já não era bom quando chegava na hora da relação, pois eu tinha medo de que ela sentisse dor, e ela por sentir dor, evitava também. Sempre fomos muito amigos e compreensíveis um com o outro, então não deixamos que isso atrapalhasse nossa relação cotidiana, não havendo distanciamento das partes. Com as idas dela a alguns ginecologistas, achávamos que seria impossível ela se sentir bem e sentir prazer durante a relação sexual. Procuramos sobre as características das dores que ela sentia e logo descobrimos o vaginismo, que é tão pouco falado em comparação a problemas sexuais masculinos. Procurei por clínicas especializadas, achei a Saúde Pelvic e mandei o número para ela entrar em contato, um tempo depois ela havia me dito que era a própria doutora que atendia e marcava as consultas, e isso foi uma surpresa e motivação para nós irmos atrás de iniciar o tratamento. A primeira sessão se passou, na segunda comecei a acompanhá-la, na terceira, na quarta... e então tivemos alta. Um sentimento de gratidão inexplicável pela Dra. Áurea, que foi essencial em nossas vidas. Fico muito feliz por minha namorada que se superava a cada sessão, deixando o medo e a insegurança de lado e vencendo nesse tratamento tão espetacular feito pela doutora.

Enviado em: 05 de JANEIRO 2020

Assunto: Cura do Vaginismo

Mensagem:

O dela:

Sentia muita dor nas tentativas de ter relação sexual. Era realmente horrível, me contraía toda, prendia a respiração, sempre sentia dor na penetração. A cada tentativa frustrada me sentia pior, triste, incapaz. Depois que comecei a fazer as sessões de fisioterapia, me senti mais confiante, comecei a conhecer melhor o meu corpo, aprendi a fazer movimentos que me deixavam mais relaxada e preparada a receber o pênis. Passei a acreditar que era possível a penetração, não sentir dor e ainda sentir prazer na relação sexual. Hoje, depois de ter alta, consigo exercer de forma agradável a minha sexualidade, me sinto muito satisfeita com os resultados, os avanços inesperados que eu tive! Agradeço por todas as dicas, conhecimento, práticas, apoio, estímulo, motivação que tive na clínica e a recomendo muito ás mulheres que precisam dessa compreensão e ajuda que eu recebi na saúde pelvic. Realmente mudou a minha vida! Obrigada Dra. Áurea!

O dele:

Minha namorada estava com dificuldade em ter relações sentia muita dor e não era possível a penetração. A princípio imaginei ser algo passageiro que com tempo ela ficaria mais à vontade e daria certo. Não aconteceu como eu esperava e pesquisando na internet  ela conheceu a clínica e se identificou com os relatos do site. Em poucas sessões ela já estava mais confiante e tudo começou a acontecer. Ela teve alta e hoje podemos nos curtir de forma plena.

Enviado em: 05 de Novembro 2019

Assunto: Cura do Vaginismo

Mensagem:

Após colocar o DIU e passar por um tratamento de uma infecção, comecei a ter dores na hora da relação. Fui em 2 ginecologistas, expliquei e ambas não me deram suporte, nem me orientaram sobre o que poderia ter causado e como tratar. Foi então que pesquisei e encontrei a Áurea, que me deu todo suporte, orientação e apoio. Com as sessões de fisioterapia, melhorou super  rápido! Algo que já estava me dando desespero (pois era uma contração involuntária que causava a dor) e ela conseguiu me ajudar a perceber que eu conseguiria contornar e mudar esse padrão que meu cérebro havia criado, a partir dos exercícios. Deu super certo e sou muito grata. Obrigada, Áurea!

Enviado em: 01 de Novembro 2019

Assunto: Cura do Vaginismo

Mensagem:

O dele:

Escolhemos a Dra. Áurea para tratar vaginismo em minha esposa e foi melhor opção que poderíamos ter feito. Passamos por muitas coisas juntos ao longo de 6 anos de casamento, e precisávamos de uma pessoa que não fosse apenas uma excelente profissional (o que ela demonstrou ser nos primeiros minutos de conversa), mas também humana. O fato de minha esposa poder conversar diretamente com ela desde o início, tirando atenciosamente todas as dúvidas foi algo fundamental porque trouxe a segurança necessária para um assunto que já havia se tornado tão delicado.

Ela tornou tudo mais leve, deixou tudo mais natural. O que pensávamos que seria um tratamento árduo e duradouro acabou se tornando o contrário disso. Na segunda sessão já foi possível haver penetração, sendo as demais sessões apenas para orientar outros detalhes.

O que ela proporciona com a terapia e com maneira de lidar com a paciente sinceramente não tem preço, principalmente diante do trauma que o vaginismo gera.

Seremos sempre gratos!

O meu:

De praticamente 6 anos sem sexo a 2 penetrações numa noite!

Quero contar um pouco sobre a experiência que tive com essa pessoa maravilhosa e profissional competente chamada Áurea. Já no primeiro atendimento pelo WhatsApp, antes da avaliação presencial, me senti à vontade, pois, ao contrário dos demais consultórios que entrei em contato, foi a própria doutora quem falou comigo, tirou todas as minhas dúvidas diretamente, com toda a paciência e respeito. Como provavelmente aconteceu com você que está lendo esse depoimento, eu passei por muitas dificuldades durante muito tempo. Não conseguia ter relações com meu marido, não conseguia fazer exames e, por isso, não me sentia uma mulher plena e, por consequência, meu esposo também se sentia um homem incompleto. Já chorei muito, a dor era tanta que já quis me separar para que meu esposo não passasse por isso. Disse tudo isso para que você que está lendo esse depoimento saiba que não está sozinha. Que apesar de ser difícil, há solução. Eu serei sempre grata à Dra. Áurea por cada sessão, por cada palavra, pelo atendimento humanizado, por cada abraço apertado quando nos encontramos e nos despedimos. Isso com certeza dá as pacientes a confiança que precisamos para tratar o bem mais precioso que temos, que é a nossa intimidade. Só que, como ela me disse, depende de nós também! Eu quis resolver, e logo! Fiz os exercícios direitinho, segui as orientações da Dra., e já nas primeiras sessões conseguimos a tão sonhada penetração! Foi incrível! Até escorreram lágrimas! Mas dessa vez foi de emoção! Os depoimentos que li aqui foram um grande motivo para que eu escolhesse a escolhesse para cuidar dessa dor que nos acompanhava a tanto tempo e que eu achava que nunca iria mudar. Então, espero que minhas palavras te ajudem a tomar essa decisão. Decida mudar sua vida. Fiz 5 sessões ao todo, com orientações e treinamentos para controle do meu corpo, posições sexuais e outras coisas. Hoje eu tenho uma vida sexual plena, com cheiro de novidade, e isso é maravilhoso! Estamos como recém-casados e vivendo um casamento completo! Hoje só tenho gratidão em meu coração! Sou grata ao meu Deus, ao meu esposo que passou comigo por isso tudo e me esperou e, claro, à Dra. Áurea! Obrigada! Mil vezes obrigada!

Enviado em: 29 de Outubro 2019

Assunto: Cura do Vaginismo

Mensagem:

Após 1 ano e meio de casamento procurei a Dra.. Áurea para tratar do vaginismo. Casei-me virgem e sem instruções sobre vida sexual. No início do casamento as tentativas de penetração eram muito dolorosas e sempre terminavam em brigas com meu marido. Tímida e constrangida procurei uma ginecologista que tentou inutilmente me examinar e foi a pior sensação do mundo, ela me disse: “o que você tem é medo, por isso trava as pernas e nada entra aí”. Saí de lá arrasada! Depois procurei outra ginecologista que no final da consulta após me examinar e sem sucesso, me disse que eu tinha vaginismo e me falou pra procurar uma psicóloga, sem me explicar mais nada sobre o assunto. Mais uma vez saí arrasada. O tempo foi passando e apesar do meu marido ser muito paciente e na medida do possível ser compreensivo, percebi que isso estava afetando diretamente o nosso relacionamento. Vi diversos vídeos e li muitas matérias sobre o vaginismo e mesmo com medo e muita vergonha (eu me sentia anormal e com um “defeito” que eu não sabia como consertar minha autoestima estava no chão) decidi procurar ajuda, achei o site do Saúde Pelvic e marquei uma consulta. Lembro que eu senti que ali era minha última esperança de tentar ser uma “mulher normal”, é difícil encontrar palavras pra descrever a sensação de fracasso e frustração que eu sentia. Foram 06 sessões que mudaram a minha vida! A partir da 3ª, o meu marido começou a me acompanhar, o que me encheu de ânimo e força. Fui fazendo os exercícios em casa, quebrando barreiras emocionais e ganhando confiança em mim mesma. Após a 5ª sessão conseguimos fazer sexo com penetração e cada vez mais eu ia sentindo que a dor ia diminuindo até ser completamente indolor. Foi como tirar uma montanha das costas, me sinto leve e livre! Sou extremamente grata a Dra Áurea pela paciência, dinheiro nenhum no mundo pode pagar sua competência e dedicação. Pra quem nesse momento se encontra desesperada como um dia eu estive eu te digo: Existe cura para o vaginismo e você vai conseguir passar por isso!

Enviado em: 16 de Agosto 2019

Assunto: Cura do Vaginismo

Mensagem:

No mesmo dia em que escrevi este depoimento, recebi a notícia da minha alta. Este termo representa muitos desafios, tanto físicos quanto psíquicos. Após receber o diagnóstico de vaginismo, posso dizer que passei por algumas fases do luto: a negação do diagnóstico, a culpa, a raiva. Pensei em como o vaginismo iria interferir no meu futuro conjugal e, principalmente, na minha autoimagem como mulher. Contudo, embora seja da área de saúde e saber que a aceitação do problema é a principal etapa para o tratamento, percebi por meio desta vivência que alcança-la é desafiador, mas muito, muito eficaz. Portanto, se alguém estiver passando por uma situação similar, o primeiro conselho seria aceitar o diagnóstico. A segunda etapa seria procurar assistência profissional especializada que acompanhe a evolução. Tive momentos de descrença, mas o apoio da querida Áurea fez diferença, além do meu namorado. A terceira etapa seria fazer sua parte, fazendo os exercícios por conta própria. Isso acelera a evolução do tratamento. Por fim, é fundamental deixar-se libertar do excesso de pudor, sem esquecer-se das próprias virtudes e sempre se valorizando. Olhando para trás, enxergo que, apesar dos vários momentos de sensação de fraqueza, hoje sinto-me mais empoderada e forte!

Enviado em: 03 de Agosto 2019

Assunto: Cura do Vaginismo

Mensagem:

Após a minha primeira relação sexual, observei que sentia muita dor, Mas bem antes disso, sempre tive medo de ir à ginecologista.
E nas tentativas seguintes em ter relação sexual observei que além da dor eu me travava totalmente e a penetração era praticamente impossível, parecendo que tinha uma parede em mim que impossibilitava a penetração, Fui à ginecologista e a mesma disse que eu não tinha nenhum problema fisicamente falando. E foi aí que comecei a pesquisar mais sobre o assunto e descobri que tinha vaginismo. 
Sou solteira e mesmo assim decidi buscar ajuda para meu problema, pois devemos nos amar em primeiro lugar, nos cuidar e procurar a ajuda necessária, e foi aí que achei a Dra Áurea, um amor de pessoa, super paciente, carinhosa, atenciosa, que sempre me explicou tudo detalhadamente e sempre teve muito cuidado e paciência em todas as sessões, nunca foi além do meu limite, sempre respeitando minhas limitações, meus medos e minhas dores. Sempre achei que nunca conseguiria solucionar esse problema, que sempre seria uma mulher incompleta, que não teria nunca relações sexuais e nunca iria ao ginecologista fazer exames rotineiros. Mas graças a Deus e a Dra. Áurea estou a um passo da cura. Marquei ginecologista e assim que fizer os exames farei minha última sessão se Deus quiser 💪🏽💪🏽
Enviado do meu iPhone

Enviado em: 26 de julho 2019

Assunto: Cura do Vaginismo

Mensagem:

Namoro a 6 anos e de 1 anos e meio mais ou menos, fui notando dor durante as relações especialmente no início do ato. No começo eu insistia ate que chegou um momento que eu evitava qualquer tipo de coisa que terminaria em penetração para evitar a tal dor. Tinha pouca cobrança do meu parceiro, mas eu percebi que estava afetando a relação. Mas principalmente eu não estava feliz com o que acontecia. Ouvi falar poucas vezes sobre vaginismo e quase nada sobre o tratamento, ate que minha irmã me informou sobre uma amiga  que tratava mas encontrei muita dificuldade pra começar o tratamento. Um dia resolvi pesquisar e encontrei esse site. Entrei em contato e depois de tirar algumas duvidas marquei a consulta e fui disposta a resolver o problema, foi na fisioterapia que aprendi  a controlar minha respiração e musculatura, que me ajudou a voltar a pratica com mais prazer. Só tenho a agradecer ajuda e conselhos. Foram 6 sessões (muito rápido) e muito treinamento... Melhorou ate coisas que achei que eram boas...

Enviado em: 09 de julho 2019

Assunto:

Depoimento Vaginismo

Mensagem:

Foram 3 anos e 9 meses de várias tentativas, frustrações, esperança e vontade de vencer esse gigante chamado vaginismo. Durante a minha infância, adolescência e juventude via o sexo como algo pecaminoso, algo que ainda não era reservado para mim. Casei virgem  e a sensação que tive é que de um dia para o outro eu podia fazer todas as coisas que antes eu considerava pecado. Como assim? Já posso fazer tudo isso? Viajamos em Lua de mel uma viagem inesquecível, mas nada aconteceu, a expectativa só aumentava. Voltei de viagem e fui a uma ginecologista que ignorou o meu relato e tentou me examinar, mas sem sucesso. Sai do consultório com as pernas trêmulas e com um medo muito grande dentro de mim. Comecei a pesquisar na internet e descobri o que eu tinha: vaginismo. Daí em outra ginecologista e a orientação que recebi foi que eu precisava relaxar... Infelizmente não me ajudou. Mais pesquisas na internet e conheci o trabalho da Dra. Thalia Maia, ela foi um amor de pessoa, me entendeu e me acolheu me encaminhou para fisioterapia pélvica. Nesse intervalo descobri um câncer de tireoide, com apenas 25 anos, foi a pior sensação da minha vida. Um sentimento de morte. Fiz algumas seções, mas não via muito resultado, às seções eram muito doloridas, mesmo assim cada avanço era uma vitória.

 A minha mente estava preocupada com algo maior e precisava pausar o tratamento do vaginismo para me concentrar em outra coisa. Fiz todo o tratamento, cirurgia, iodo terapia e me recuperei bem, graças a Deus. Agora sim me sentia mais forte para continuar a luta contra o vaginismo. Marquei uma consulta com a Dra. Isabella Naves que é um amor de pessoa, expliquei o meu caso, ela me entendeu e me ajudou a superar, me encaminhou para psicoterapia e fisioterapia pélvica. Ao pesquisar na internet conheci o site saúde pelvic e já entrei em contato com a Dra. Áurea. Marquei a avaliação e começamos o tratamento. Ao todo foram nove seções, na quarta seção já consegui a minha primeira relação com penetração. A Dra. Áurea foi um anjo de Deus na minha vida. Ela sempre me recebia com um sorriso, me ensinou muitas coisas e me motivava sempre, não me deixando desistir, e isso foi fundamental. Hoje me sinto muito bem, o meu casamento está ainda mais alicerçado, me sinto uma mulher completa e realizada. Para completar ainda mais a minha felicidade, Deus  me mandou um presente lindo, estou grávida!!! Só tenho a agradecer primeiramente a Deus que me sustentou em todo o tempo, ao meu esposo que ajudou bastante, a Dra Áurea que me ensinou e me fez entender que era algo muito simples e a Dra Isabella que me acolheu  e entendeu o meu caso. A minha mensagem para quem está passando por isso é que não desista, vá em frente que a sua hora vai chegar. Tudo tem o tempo certo, precisamos ter esperança e persistência. Bjos!!!

Depoimento enviado 08 julho 2019

Assunto: Um casal que juntos superaram o Vaginismo

Atualmente tenho 36 anos e, há quase uma década, tentava, sem sucesso, uma relação com penetração. Meu namorado esteve comigo durante esse período e, apesar de termos encontrado formas de obter intimidade e prazer, o vaginismo resultou em muita frustração e dificuldades de desenvolver um diálogo para resolver essa questão juntos. Nesse período, meus pensamentos variavam entre "é só relaxar", conselho escutado em consultório de ginecologista, até "não há solução", ideia fundamentada em textos e vídeos encontrados na internet. Foi a partir de um depoimento de uma outra mulher sobre o vaginismo e o relato sobre as maneiras de tratar que entendi que era preciso procurar ajuda, pois sozinhos eu e meu namorado não estávamos conseguindo mudar a situação. O primeiro passo foi simples, recebi uma indicação da minha ginecologista e marquei uma consulta com uma sexóloga. O trabalho, então, foi feito em paralelo com a sexóloga, que considerou o meu medo de engravidar, e com a fisioterapeuta, Dra. Áurea. Foi uma surpresa a rapidez do tratamento: 4 sessões de fisioterapia e a penetração, que parecia antes uma impossibilidade, aconteceu. Muitas dicas da Dra. Áurea podem parecer instintivas para outras mulheres, mas para mim foram essenciais como um treinamento para entender a mecânica da relação e saber como me preparar. Sinto que, cada vez mais, a penetração se torna um processo simples e prazeroso. É um primeiro passo para uma vida sexual mais completa e, acima de tudo, leve para o casal. Nas próximas linhas, o meu namorado descreve o processo a partir do ponto de vista dele.

Como minha namorada, companheira e amiga colocou acima, as frustrações relacionadas a uma vida sexual limitadora nos acompanharam por anos. Essa questão foi a grande responsável por nossos maiores desentendimentos. Existiram momentos que pensamos em desistir, outros que achávamos que era só uma questão de persistência. E, claro, a ideia de que estaríamos fadados a uma vida sexual incompleta. Procurar ajuda fora do âmbito do casal é sempre delicado porque requer coragem para falar e expor essa dificuldade. E demorou muito tempo para entendermos que uma ajuda externa poderia ser muito bem-vinda. A partir daí, tudo começou a fluir de forma rápida e prazerosa. Passos largos que demoravam anos para serem dados, cheios de medos e dificuldades, eram feitos em dias. Não, não é mágico. Requer empenho e dedicação. Mas é real. E claro isso exige de nós também, parceiros. O tratamento é para melhorar a nossa vida sexual. Eu (elo masculina dessa história) sou parte desse processo e foi importante ler a respeito (sim, tem leituras!), ouvir, participar de exercícios, estar nas sessões em que fui convidado. Acho que encarar o sexo de forma leve, divertida é a maior conquista que já consigo sentir. E é muito bom ter alcançado isso com essa pessoa que está comigo há anos.

Pseudônimo: Silvia e André

Enviado em: 11 de março 2019

Assunto: A cura do Vaginismo

Assunto: Vencendo o vaginismo

Mensagem: Olá! Sou uma mulher de 36 anos que venceu o vaginismo. Tive uma infância aparentemente normal, o que todos não sabiam é que eu fui abusada por dois tios com cinco anos de idade. Eles não me penetraram, mas tocavam o meu corpo e passavam o pênis em mim e na minha vagina até ejacularem. Resultado do trauma: uma adulta, casada há 13 anos sem penetração, depressiva e com síndrome do pânico. Eu não conseguia nem olhar minha vagina, quando tentava sentia tonturas. Tornei-me uma mulher arredia e não gostava de ser tocada por quem eu não tinha intimidade, abraços, nem pensar. No decorrer dos anos do meu casamento fiz terapias, e cada dia eu vencia uma etapa emocional, mas com relação ao sexo, nada de penetração. Tínhamos momentos de carícias, amassos, porém, minha vagina era zona proibida. Não deixava passar a mão e nas tentativas de penetração o tesão sumia, as pernas tremiam, sentia um tremor incontrolável e uma dor torturante que me faziam desistir e me sentir completamente frustrada e infeliz. Ir ao ginecologista era outra tortura. Passei por vários médicos e todas as consultas eram iguais, eu não deixava que me tocassem, o exame era impossível de ser realizado e todos me falavam a mesma coisa: “procure um psicólogo!” Nem sabiam que eu já havia feito isso e nada de mudanças. O tempo passava e eu já não tinha mais esperança. Pensei em separar para que o meu marido pudesse encontrar uma mulher “completa” e que lhe desse filhos. Achava muito injusto ele ter que passar por tudo isso, mesmo ele sempre me apoiando e dizendo que estaria comigo até o fim. A família e os amigos começaram a cobrar filhos e nós dois dávamos qualquer desculpa e saímos com os corações partidos. Não me sentia uma mulher completa, minha autoestima era muito baixa e eu pensei até em me matar, o que Deus não permitiu que eu fizesse. Quando vi meus familiares tendo filhos, senti que deveria buscar pela última vez uma solução para que eu desfrutasse do sexo e também tivesse a oportunidade de ser mãe. Procurei um ginecologista, contei tudo e pedi ajuda, graças a Deus, este me falou que eu tinha vaginismo e que eu precisava associar a psicóloga com a fisioterapia uroginecológica. Foi aí que tudo mudou, eu agora sabia o que tinha e o que buscar para melhorar. Iniciei os dois tratamentos e em um mês, nada de resultados. Para piorar, meu plano de saúde foi suspenso. Novamente acreditei que seria impossível sair daquela situação. Retornei ao meu ginecologista e ele me indicou um anjo: Dra. Áurea, fisioterapeuta especialista em vaginismo. Mesmo na incerteza de como seria, fui atrás, afinal, o que eu ia perder?! Iniciei o tratamento, fechamos 10 sessões e na terceira sessão eu já estava conseguindo penetração com os materiais usados na Fisio, algo que NUNCA havia conseguido na vida e obviamente, no final do tratamento eu já estava tendo relações sexuais com o meu marido de forma tranquila e prazerosa, Me transformei, me tornei uma mulher mais expressiva e agora recebendo muitos abraços apertados, o que inclusive começou com a Dra Áurea. Todos os dias ela me dava um abração na recepção e na saída... Isso foi muito importante! Escrevi esse depoimento para que outras mulheres que passam pelo mesmo problema, tenham a confiança de que com força de vontade, exercícios corretos, profissionais certos, disciplina e perseverança nós conseguimos 100% de cura. Hoje, a cada relação, eu e meu marido desfrutamos de momentos íntimos maravilhosos e experimentamos um misto de emoções, às vezes nem acreditamos que já está acontecendo... É muita gratidão a Deus e a Dra Áurea que não foi apenas uma fisioterapeuta, mas principalmente, uma amiga e conselheira. O próximo passo? A maternidade!

Enviado em: 05/03/2019

Anne

Assunto: Cura do Vaginismo

Sou casada há 13 anos e tenho um filho de 3 anos o meu problema começou logo depois que tive meu bebê passei praticamente 2 anos sentindo dor procurei diversos ginecologistas tive um diagnóstico totalmente errado ao ponto de quase entrar pra um centro cirúrgico... Enfim foram dias de luta de tristeza eu nunca tinha ouvido falar sobre vaginismo e vejo que também existam muitos médicos despreparados pra tal situação. Deus me encaminhou um excelente ginecologista que diante de vários exames e diálogo conseguíamos descobrir o verdadeiro problema e com uma pesquisa na internet através dos vários relatos eu marquei minha consulta depois de apenas 05 sessões se não me engano eu estou curada aprendi a controlar o músculo perdi o medo estou vivendo minha vida da melhor forma possível... Quero agradecer a Dra. Áurea essa profissional maravilhosa que cuidou com todo carinho do mundo e falo pra você que sente incômodo/dor, não tenha medo ou vergonha vaginismo tem cura basta procurar por um profissional no assunto.

Enviado em: 09 de outubro 2018

CASADA - DF

Assunto: Existe prazer após a superação do vaginismo

O vaginismo tem solução. E o que vem depois da solução é maravilhoso e gratificante. Tive minha primeira relação sexual aos 20 anos. Senti muita dor a primeira vez e as outras vezes que se sucederam. Diversas vezes conversei sobre isso com algumas ginecologistas e também com minhas amigas. E o que eu ouvia sempre era que devia ser porque eu sou muito pequenina e que devia caprichar mais nas preliminares e usar lubrificantes. Não importava o quanto eu falasse que não era um problema de lubrificação. O tempo passou. Gostava de fazer sexo, porém a dor era sempre presente. E foi piorando gradativamente, até que um dia me machuquei na tentativa de realizar a penetração. Fiquei com mais medo, o que foi alimentado um ciclo vicioso. Eu sentia dor, então evitava o sexo. Hoje sou casada e estamos juntos há 7 anos no total. Meu esposo é um bom companheiro e se esforça bastante para me agradar e me ajudar. Então resolvi procurar uma solução para o caso. Por mim, que sentia a necessidade de me ver bem resolvida com o sexo é de sentir o prazer da forma plena. E também pelo meu esposo. Achei que faria um bem para o casamento. E se vamos passar o resto da vida juntos, que seja da melhor forma possível!!! Busquei primeiro uma sexóloga ginecologista. Após uma longa conversa, chegamos ao diagnóstico do vaginismo. Dentre outras coisas, ela me recomendou fazer a fisioterapia e indicou a Dra. Áurea! Que pessoa maravilhosa! Acolhedora, ouviu atentamente toda a minha história também. Ensinou-me sobre os exercícios para musculatura pélvica. Sobre o movimento com o quadril. Resgatou em mim aquela mulher do começo do relacionamento, que buscava o sexo, que tinha imaginação, que fazia as ocasiões. Deu-me dicas práticas para o dia a dia, de posições melhores para a penetração. Ajudou-me a ser confiante e a confiar que não ia sentir dor no dia da relação! E o grande dia chegou! Casa arrumada, lingerie nova, cueca nova para o maridão, cartinha para que ele me esperasse chegar do trabalho que ia rolar muita coisa boa. E assim foi. Na hora da penetração, o frio na barriga de quem sentiu dor EM TODAS as relações anteriores, seguida do sorriso largo. A penetração sem dor era algo quase inimaginável! Mas ela veio! E junto com ela veio uma relação prazerosa e incrível! Com sabor de quero mais! Eu não posso quantificar o quanto sou grata pela ajuda da Dra Áurea! Hoje a recomendo e minha ginecologista também sexóloga para todas! Quero que todas tenham o mesmo desfecho que estou tendo. Estou tendo, pq ainda não terminou. Ainda tenho um longo caminho pela frente, um passo de cada vez. A parte mais difícil é sem dúvida a de procurar ajuda. A primeira consulta, falar sobre suas intimidades mais profundas. Mas vale a pena! Não perca mais um só dia! Queria mudar e ser feliz! Todas merecemos!

 

Enviado em: 30 Julho, 2018.

Joana  Brasília - DF

Vaginismo eu que achava não existir

 

Vaginismo é um assunto pouco falado e estudado na medicina  ,pensava que  tinha algum problema me achava uma mulher frustrada porque ouvia outras falarem sobre sexo como algo bom .Mas pra mim era algo que me apavorava .   Descobrir que tinha vaginismo no casamento através de muitas tentativas frustradas com medo como casei virgem e também não tinha ideia como era a vida sexual pensava que era fácil, mas com o tempo percebia que era diferente não tinha prazer só dores ficava em pânico,achava que tinha algum problema mais não sabia como resolver graças à Deus meu esposo me ama e te vê  muita paciência comigo fomos ao ginecologista mais não  soube me explicar sobre o que tinha ,fiz exames mas nada mudou. Infelizmente o vaginismo muitos não tem ideia sobre o assunto. Daí então meu esposo pesquisou muitas coisas na Internet e por fim descobriu que eu tinha era vaginismo e buscamos a especialista na área Dra Áurea que foi muito atenciosa e me fez várias perguntas e foi diagnosticado o vaginismo. Vaginismo é causado por traumas ou simplesmente medo da penetração no meu caso era  traumas que  sofri na infância por terceiros por ter me espancado e ameaças  fiquei com medo de homens não confiava daí então trouxe sequelas pra juventude  que atrapalharam minha vida sexual graças a Deus tive & nbs p;ajuda  certa e com muita força de vontade conseguir me superar fiz 5 seções com a especialista na área e superei hoje estou grávida que era nosso sonho. Pois infelizmente pra quem tem vaginismo é difícil conseguir engravidar por não haver penetração que é o maior pavor de quem sofrer desse trauma hoje sou curada e realizada como mulher.

Ana  Maria 29 anos DF

A Caminhada até aqui.


Esta semana li uma frase que acho que é o sentimento de toda mulher vagina “Só sabe quem já viveu”, verdadeiramente só pode saber a dor de uma vaginica quem já foi uma, ou quem é; à muito eu me sentia humilhada, e inferior a outras mulheres, costumava observar as grávidas, as casadas e sempre pensava: Ela com certeza não é vaginica, dá conta do recado, e eu, não, me sentia inferior a todas. Porém nunca me dei por vencida, sabia que esta luta iria vencer, e venci, posso dizer que dentro de mim sinto-me orgulhosa de mim mesma,quando vencemos uma batalha a vontade que temos e de falar para todos, gritar para o mundo o nosso triunfo, entretanto este assunto é sigiloso, nem mesmo minha mãe sabe, mas somente meu marido, a fisio, a gineco, e a psico, acho que nunca contarei a ninguém, mas somente para aquelas que eu sinto que passam pelo mesmo problema.
Deve ressaltar aqui, que foram várias etapas. De março até dezembro (9 meses) desconfiada de que algo estava errado, algumas brigas e várias cobranças do meu marido. Em Janeiro (1 mês) comecei o tratamento psicológico, e de imediato procurei outra gineco, visto que a outra não me deu muitas informações, apenas me encaminhou para a psicóloga. Em Fevereiro consultei com a nova gineco, mais atenciosa, mais informada, esta me encaminhou para a Fisioterapeuta. Em Março foi a maior esperança, comecei meu tratamento com a Fisioterapeuta, daqui para frente eu comecei a ficar mais confiante, sabe, senti, como se Deus tivesse colocado aquela mulher para me ajudar, um verdadeiro anjo, minha fisioterapeuta.
Foi com a Fisioterapeuta que eu aprendi a não ter medo de me tocar, aprendi a ter o controle dos músculos da minha vagina, aprendi a colocar um Ob, ou tambax, aprendi com ela, que só ficaria curada, se passasse a introduzir o dedo, o tambax, e até o vibrado diariamente, ou sempre que possível. Em Julho foi o começo da cura, consegui a penetração completa.(Gloria a Deus)
Também não poderia deixar de falar das várias orações, das várias buscas de informações pela net, das várias brigas com meu marido pela falta de sexo, enfim não foi fácil, mas apenas consegui por que não fiquei acomodada, não fiquei apenas me lamentando, senti-me sozinha, e sabia que dessa vez tudo dependia de mim, mesma, e si não fosse pela minha profunda fé e dedicação, não teria conseguido.
Espero que todas ao ler este post, reflitam, tudo depende de vocês mesmas, acreditem, esforcem-se, dediquem-se, pois com certeza, vai vale a pena!
Fiquem com Deus...

Samira 35  anos - DF

Gostaria de ajudar mais mulheres que apresentam a infelicidade de não conseguirem ter uma penetração completa e de não sentirem prazer.

Minha história inicia se desde quando eu era pequenininha, em que minha mãe coitada por falta de orientação e também por ter sido educada daquela forma ela também achava que estava passando uma educação correta pra mim e minhas irmãs. Não a culpo, pois ela não sabia fazer de outra forma e meu pai por sua vez achava que a educação era o papel da mãe. Com isto nós fomos criadas da melhor maneira possível dentro dos princípios religiosos e moral do ponto de vista da minha mãe. Nos como meninas não somos habituadas a nos tocarmos a não ser para fazermos a higiene e olhe lá, pois tem mulheres que nem assim se tocam. Mas falo no sentido de nos descobrirmos através do que nos traz prazer ao sermos tocadas, neste sentido é que não estamos acostumadas. Como que queremos ter prazer se não sabemos aonde temos esta sensação que nos agrada!

O tempo foi passando eu cresci e entrei na adolescência, meu corpo foi mudando e as sensações também aparecendo, como o primeiro namorado, o primeiro beijo e primeira relação amorosa. Não tive uma boa experiência mas segui com os meus relacionamentos, porem sem sentir à vontade e não conseguia deixar ser penetrada pois havia muita dor e uma enorme vontade de fugir daqueles momentos,. me sentia mau comigo mesma, porque faço desta forma? Porque fujo se eu quero tanto? Será que eu quero mesmo? São varias as perguntas sem respostas, daí resolvi pesquisar e descobri que há tratamento para este problema e que seria através da fisioterapia e se necessário fosse também um suporte psicológico. Procurei a Dra. Áurea pra me ajudar, realizamos uma avaliação inicial pra que ela soubesse da minha criação e da minha vida sexual, partimos pra o exame físico no qual ela percebeu que eu não relaxava o suficiente.

 

Iniciamos o tratamento fisioterápico com exercícios, conscientização corporal e o exercício de eu me tocar, que inicialmente pra mim era muito difícil fazer isso sozinha, precisava ter alguém que me orientasse e fosse me dando suporte de estímulo e autoconfiança.  As sessões foram se desenvolvendo bem, e eu permitindo e querendo assumir o compromisso comigo mesma que aquele tratamento seria a mudança da minha vida, como pessoa melhor que eu seria de forma geral, não apenas sexualmente falando, mas também em meu dia como pessoa. Fui permitindo e realizando em casa sozinha num primeiro momento e assim que eu venci aquela etapa fui sendo orientada pela Dra. Áurea de deixar o namorado também participar ajudando-me e conseqüentemente a ele também, pois isto gera um medo no parceiro de que ele esta proporcionando o desconforto e assim nele ocorre dores, pois o pênis é sensível. Quando eu já estava deixando ser penetrada por tudo que antes eu temia, num dos treinamentos com meu parceiro aconteceu de nós termos uma relação de envolvimento sem medos e de entrega e participação em conjunto. Foi uma sensação muito boa de vitória, mesmo não conseguindo chegar ao êxtase, mas sei que tudo é treino mental, físico e emocional do casal.

Então meninas, não deixem o comodismo tomar conta dos seus hábitos, saia da zona de conforto e enfrentem os obstáculos com confiança em você mesma e no profissional adequado. Procurem a fisioterapia uro ginecológica, ela é prioridade para vencerem o vaginismo, recomendo aqui em Brasília a Dra. Áurea, excelente profissional, vale à pena! Abraços a todas e espero ter contribuído para que deem o primeiro passo, que é assumir o problema e em seguida procurar o tratamento correto com o profissional da área.

Meu nome fictício é Felicidade, tenho 33 anos e sou de Brasília. Obrigado! 

Felicidade 33  anos Brasília - DF